Pular para o conteúdo principal
Noticias

Amanda Nunes, a maior lutadora de todos os tempos

Brasileira é a primeira mulher a conquistar dois cinturões do Ultimate

Não tem mais jeito, está escrito na história! Daqui dez anos, quando alguém falar sobre MMA, o principal nome entre as mulheres continuará sendo o da brasileira Amanda Nunes. Na noite deste sábado, no UFC 232, ela tornou-se a primeira pessoa no planeta a nocautear a compatriota Cris Cyborg e a primeira mulher a ter dois cinturões do Ultimate simultaneamente.

"Sou a primeira campeã mulher campeã de duas divisões. Eu sou a melhor. Dana White, eu tenho que ser Hall da Fama do UFC", disse uma empolgada Amanda Nunes com dois cinturões ainda em cima do octógono.

E ela tem razão. Amanda Nunes vem de excelentes vitórias, mas, além disso, o feito torna-se ainda maior quando analisamos as rivais que ela venceu e a forma como ela fez tudo isso parecer muito fácil. É difícil pensar em uma atleta que tenha feito algo parecido no octógono.

Primeira brasileira contratada do Ultimate, a ‘Leoa’ ganhou a chance de disputar o cinturão no UFC 200, em 2016, depois de anotar três vitórias seguidas. Muita gente falou que ela não teria chance contra a campeã Miesha Tate, que vinha de vitória sobre a ex-campeã Holly Holm, mas a brasileira mostrou que surpreender quem a critica é uma das suas principais facetas e dominou o combate. Mostrou o poder dos seus punhos, deixou a rival desacordada e conquistou o cinturão finalizando a norte-americana no primeiro round.

O confronto seguinte foi ainda mais desafiador. Amanda Nunes enfrentou a lutadora que ela sempre teve o desejo de vencer, a ex-campeã Ronda Rousey. Era quase unanimidade entre os fãs que a norte-americana iria conseguir finalizar a brasileira e conquistar o título que havia perdido para Holly Holm. Mas o que se viu no octógono foi um atropelo. Amanda precisou de 48 segundos e 47 golpes desferidos para nocautear uma das melhores lutadoras do planeta até então.

“Vocês precisam acreditar mais em mim, começou a Era da Leoa. Eu sou a campeã, a melhor de todos os tempos”, disse ela depois de uma das vitórias mais expressivas da sua carreira.

A luta seguinte foi contra uma antiga rival. Amanda havia vencido Valentina Shevchenko por decisão dos juízes em 2016, ainda sem valer o cinturão, e uma revanche entre as duas era aguardada. Muitos falavam que a lutadora do Quirguistão era adversária perfeita para acabar com o reinado da brasileira, mas não foi isso que aconteceu no octógono. Em uma luta de cinco rounds, Amanda Nunes seguiu como campeã por decisão divida dos juízes. 

Tudo bem que você já pode ter se perdido nas contas de quantas coisas Amanda Nunes foi a pioneira, mas ainda temos mais uma. Ela foi a primeira - e única - atleta brasileira a defender o cinturão no Brasil. No UFC 224, em maio, Amanda enfrentou Raquel Pennington e venceu no Rio de Janeiro com um nocaute no quinto round.

Com três defesas de título dos galos, apareceu uma chance de muitos acharam que a brasileira estava ficando louca de aceitar: subir para os penas e enfrentar a campeã Cris Cyborg. Amanda repetiu diversas vezes que era a lutadora perfeita para realizar tal feito e provou na noite deste sábado que realmente está entre as melhores de todos os tempos. Sem desperdiçar golpes, ela mostrou que tem a mão pesada e nocauteou a rival em 51 segundos. E agora, qual vai ser o próximo da maior lutadora de todos os tempos?

Amanda Nunes é a maior lutadora da história do UFC?

Respostas