Pular para o conteúdo principal
Atletas

Análise de momento: peso-galo feminino

Amanda Nunes despachou todas as ex-campeãs de forma dominante, mas um grupo de jovens talentosas a aguarda

A divisão peso-galo feminina tem no momento o reinado mais longo do UFC com Amanda Nunes chegando ao 4º ano no topo da categoria. Neste período, a brasileira passou pelas três campeãs anteriores dos 61 Kg e se estabeleceu como a maior artista marcial mista da história da organização.

Devido ao domínio de Amanda, a divisão vive um momento interessante, já que três das seis primeiras colocadas no ranking já foram derrotadas pela “Leoa”, mas um grupo de jovens talentos começa a escalar a montanha acreditando serem capazes de destronar a brasileira.

Mais análises: Peso-mosca feminino | Peso-palha

Aqui vai uma análise do momento da categoria:

Campeã: Amanda Nunes
(19-4, 13 nocautes, 3 finalizações)

Última luta: vitória por decisão unânime sobre Germaine de Randamie (14/12/2019)

Próxima luta: Felicia Spencer no UFC 250 (peso-pena)

Panorama: aos 31 anos de idade, Amanda Nunes tem o tipo de currículo e legado que vai perdurar pelo resto da história. Ela não apenas venceu, mas nocauteou ou finalizou todas as ex-campeãs do peso-galo e nocauteou duas das mulheres mais dominantes que já pisaram no Octógono: Ronda Rousey e Cris Cyborg. O nocaute sobre Cyborg, seguido por outro nocaute sobre Holly Holm, elevou o perfil de Amanda. Embora a vitória por decisão unânime sobre Germaine de Randamie tenha sido menos espetaculosa, com Amanda implementando uma estratégia voltada para o wrestling, a brasileira impôs sua vontade da mesma forma. A seguir, Amanda está focada em defender seu título peso-pena, o que faz sentido levando em consideração que não há uma desafiante clara no peso-galo.

1) Germaine de Randamie
(9-4, 4 nocautes)
Germaine de Randamie of the Netherlands punches Aspen Ladd in their women's bantamweight bout during the UFC Fight Night

Última luta: derrota por decisão unânime para Amanda Nunes (14/12/2019)

Próxima luta: a definir

Panorama: a campeã peso-pena inaugural do UFC não lutou mais nos 66 Kg; ao invés disso, optou por descer ao peso-galo, onde subsequentemente venceu Raquel Pennington por decisão e tirou a invencibilidade de Aspen Ladd com nocaute técnico no 1º round. No title-shot contra Amanda Nunes, mostrou sua habilidade no boxe quando a luta ficou em pé, e discutivelmente foi melhor na trocação. No entanto, o jogo agarrado de Amanda se provou mais eficiente, e fora uma pedalada que acertou a brasileira, Germaine não teve grande sucesso no duelo. Seu próximo passo ainda não está definido, mas quando Randamie decidir lutar novamente - ela fez apenas seis combates nos últimos cinco anos - ela será um teste tão duro quanto se possa ter na categoria.

2) Holly Holm
(13-5, 8 nocautes)
ESP Holly Holm

Última luta: vitória por decisão unânime sobre Raquel Pennington (18/1/2020)

Próxima luta: a definir

Panorama: após chocar o mundo do MMA no UFC 193, Holly Holm passou por uma sequência ruim, perdendo suas três lutas seguintes. Desde então, ela venceu três dos últimos cinco combates e segue como uma das melhores pesos-galo do mundo. A atleta de 38 anos negou rumores de aposentadoria, dizendo que ainda espera conquistar o ouro no UFC mais uma vez antes de parar. No entanto, ela está em um lugar parecido com o de Randamie; como perdeu recentemente para Amanda Nunes, é improvável que a oportunidade venha rapidamente enquanto a brasileira seguir no topo dos 61 Kg e 66 Kg. Um possível confronto interessante seria com Aspen Ladd, quem ela esteve escalada para enfrentar no UFC 235 originalmente. Uma vitória sobre Ladd daria início a uma nova corrida pelo title-shot para Holm.

3) Aspen Ladd
(9-1, 6 nocautes, 1 finalização)

Última luta: vitória por nocaute técnico sobre Yana Kunitskaya (7/12/2019)

Próxima luta: a definir

Panorama: Aspen Ladd estava na via rápida rumo ao title-shot quando enfrentou Germaine de Randamie no último mês de julho, mas acabou sofrendo um nocaute - controverso - em apenas segundos do 1º round, sofrendo sua 1ª derrota na carreira. Ela se recuperou de forma impressionante, nocauteando Yana Kunitskaya no 3º round após receber uma mensagem energética de seu treinador entre rounds. Ladd voltou para o duelo como se tivesse sido lançada por um canhão e encerrou o confronto em 33 segundos. Foi uma mensagem enfática, e quando foi marcada a luta contra Julianna Peña, parecia que Aspen estava de volta ao caminho do title-shot. Antes do adiamento do card, Peña deixou o confronto devido a lesão, então o duelo deve ser remarcado no futuro. Em cinco lutas no Octógono, Ladd conquistou três de suas quatro vitórias por nocaute, e esse apetite por liquidar suas lutas faz de um possível embate entre ela e Amanda, muito intrigante.

4) Julianna Peña
(10-3, 3 nocautes, 4 finalizações)

Última luta: vitória por decisão unânime sobre Nicco Montaño (13/7/2019)

Próxima luta: a definir

Panorama: voltando de um hiato de dois anos e meio, Julianna Peña entrou de última hora no duelo com Nicco Montaño e levou a vitória por decisão unânime. Foi um bom retorno para a “Vixen Venezuelana”, e apesar de ela ter tido que adiar seu encontro com Aspen Ladd, caso as duas se encontrem no Octógono, é possível que a vitória valha o title-shot para Peña. Vencedora em cinco de suas seis lutas no UFC, Julianna foi superada somente por Valentina Shevchenko em 2017, e tem provado não ser uma luta fácil para ninguém.

5) Irene Aldana
(12-5, 6 nocautes, 3 finalizações)

Última luta: vitória por nocaute sobre Ketlen Vieira (14/12/2019)

Próxima luta: a definir

Panorama: Irene Aldana cumpriu a difícil tarefa de se manter ativa ao mesmo tempo em que mostrou evolução a cada luta. Em quatro lutas em 2019, ela somou três vitórias (com um nocaute e uma finalização), sendo a mais impressionante sua luta mais recente com Ketlen Vieira. Ao final do 1º round, Aldana conectou um gancho de esquerda que basicamente a catapultou à conversa de title shot. Sua única derrota no ano passado foi em uma apertada decisão dividida para Raquel Pennington, e ela é um confronto interessante para qualquer uma no topo da categoria. No mínimo, é sangue novo em uma divisão cheia de nomes experientes.

Ainda no mix:
Ketlen Vieira, Macy Chiasson, Yana Kunitskaya

Panorama: o peso-galo é particularmente interessante, já que existe uma pequena falta de novos nomes entrando no topo da categoria, o que diz muito sobre o nível de talento das veteranas nos ranking. Tendo dito isso, Ketlen Vieira segue sendo um nome intrigante. Com apenas 28 anos de idade, ela estava 10-0 e vinha de vitória sobre Cat Zingano quando lesões a deixaram de molho. Em seu retorno, apesar da derrota para Irene Aldana, parecia que ela estava no caminho certo para a disputa de cinturão. Escalada para enfrentar Marion Reneau no UFC 250, ela pode se ver diante de um duelo pelo Top 5, caso vença. Falando sobre Macy Chiasson, a vencedora do TUF 28 impressionou com três vitórias contundentes em suas primeiras três lutas no Octógono. Após passar por uma lombada contra Lina Lansberg, Chiasson se reabilitou com performance dominante sobre Shanna Young. E apesar de Yan Kunitskaya vir de derrota por nocaute técnico para Aspen Ladd, a ex-desafiante ao cinturão peso-pena pareceu bem no 3º round daquela luta.

Assine o Combate | Siga o UFC Brasil no Youtube