Pular para o conteúdo principal
Atletas

Análise de momento: peso-mosca feminino

Com Valentina Shevchenko em forma impecável, a pergunta é: quem fará frente a ela?

Apesar de a divisão peso-mosca feminina ter sido inaugurada na 26ª temporada do The Ultimate Fighter no final de 2017, Valentina Shevchenko rapidamente desceu para os 56 Kg com uma dominante vitória por finalização no 2º round. Na época, Brendan Fitzgerald disse ao restante da divisão, “Digam olá para seu pior pesadelo”, e estas palavras se provaram proféticas.

Leia também: Análise de momento: peso-palha | Os melhores visuais de Bruce Buffer

Após conquistar o cinturão vencendo Joanna Jedrzejczyk em dezembro de 2018, Shevchenko acumulou três defesas de título sem muita dificuldade. Quando nocauteou Jessica Eye com um dos chutes mais devastadores de 2019, Shevchenko respeitavelmente disse que aceitaria de bom grado enfrentar cada uma das mulheres no Top 15 da divisão. Ela disse isso como um elogio à categoria em desenvolvimento, mas mandou uma mensagem nas entrelinhas: Valentina aceita qualquer desafiante e, no fim, espera ter o braço erguido. Dito isso, veteranas e promessas começaram a se distinguir como as próximas na fila da campeã.

Confira uma análise de momento da divisão.

Campeã: Valentina Shevchenko
(19-3, 6 nocautes, 7 finalizações)

Última luta: vitória por nocaute técnico sobre Katlyn Chookagian (8/2/2020)

Próxima luta: Joanne Calderwood no UFC 251

Panorama: Valentina Shevchenko pode reclamar para si o título de melhor artista marcial mista tanto quanto qualquer um no plantel do UFC. Falando puramente de habilidade, talvez não tenha uma lutadora mais completa no esporte. Com dois nocautes e uma decisão unânime em suas três defesas de título, Shevchenko não deixou dúvidas sobre seu reinado. “Bullet” não demonstrou nenhuma intenção de uma trilogia com Amanda Nunes em um futuro próximo, mas muitas pessoas acreditam que ela tenha vencido o segundo embate com a dupla campeã, e Shevchenko disse que sente que o terceiro duelo eventualmente acontecerá. Após a guerra entre Zhang Weili e Jedrzejczyk, começou o burburinho sobre um confronto entre as campeãs peso-palha e peso-mosca, mas Valentina revelou ter sentido que Joanna mereceu a vitória. De volta aos 56 Kg, no entanto, Shevchenko tem um encontrou contra outra veterana pela frente, Joanne Calderwood, e como a atleta do Quirguistão sempre diz, cada luta é a mais importante, então não há por que imaginar que essa não será sua abordagem diante do desafio.

1) Jessica Eye
(15-7, 1 sem resultado - 3 nocautes, 1 finalização)
Jessica Eye celebrates the end of the round in her women's flyweight bout during the UFC 245.

Última luta: vitória por decisão unânime sobre Viviane Araújo (14/12/2019)

Próxima luta: a definir

Panorama: Em suas cinco lutas em sua divisão natural de peso, Jessica Eye perdeu apenas para a campeã Valentina Shevchenko em 2019. Ela voltou à coluna das vitórias com o triunfo sobre Viviane Araújo, apesar de não ter batido o peso. Após deixar sua academia de longa data, a StrongStyle, Eye encontrou um novo lar em Las Vegas na Xtreme Couture e no UFC Performance Institute. Ela se provou tão dura quanto qualquer outra na categoria e é alguém por quem as pessoas terão de passar caso queiram uma chance pelo cinturão.

2) Katlyn Chookagian
(13-3, 2 nocautes, 1 finalização)

Última luta: derrota por nocaute técnico para Valentina Shevchenko (8/2/2020)

Próxima luta: a definir

Panorama: A atleta conhecida como “Lutadora Loira” foi a última a cair diante de Valentina Shevchenko. Antes disso, no entanto, ela somou triunfos impressionantes sobre Irene Aldana (no peso-galo), Joanne Calderwood e Jennifer Maia. Como Eye, Chookagian é uma das lutadoras mais consistentes da divisão e uma adversária dura para qualquer uma que queria subir um degrau no ranking. Sobre o que virá a seguir, seu caminho é parecido com o de Eye, no sentido de que ambas foram nocauteadas por Valentina, então precisarão de algumas boas vitórias para terem uma nova chance pelo ouro.

3) Joanne Calderwood
(14-4, 5 nocautes, 1 finalização)
CHICAGO, IL - JUNE 08: Joanne Calderwood of Scotland stands in her corner prior to her women's flyweight bout against Katlyn Chookagian during the UFC 238 event at the United Center on June 8, 2019 in Chicago, Illinois. (Photo by Jeff Bottari/Zuffa LLC)
CHICAGO, IL - JUNE 08: Joanne Calderwood of Scotland stands in her corner prior to her women's flyweight bout against Katlyn Chookagian during the UFC 238 event at the United Center on June 8, 2019 in Chicago, Illinois. (Photo by Jeff Bottari/Zuffa LLC)

Última luta: vitória por decisão dividida sobre Andrea Lee (9/7/2019)

Próxima luta: Valentina Shevchenko no UFC 251

Panorama: Uma favorita dos fãs, “JoJo” parecia pronta para o title shot até enfrentar Katlyn Chookagian no UFC 238. Ele acabou perdendo por decisão unânime apesar de ter uma boa performance, e seus planos foram atrasados já que Chookagian foi a escolhida para desafiar a campeã. Calderwood se reabilitou com uma vitória apertada sobre Andrea Lee no UFC 242. Joanne encontrou um lar tanto na divisão até 56 Kg como em Las Vegas. Desde que começou a treinar na Syndicate e no UFC Performance Institute, a escocesa ganhou embalo e acabou conquistando a disputa de título no UFC 251.

4) Jennifer Maia
(17-6-1, 4 nocautes, 4 finalizações)
SAN ANTONIO, TEXAS - JULY 20: (L-R) Jennifer Maia of Brazil punches Roxanne Modafferi in their women's flyweight bout during the UFC Fight Night event at AT&T Center on July 20, 2019 in San Antonio, Texas. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC)
SAN ANTONIO, TEXAS - JULY 20: (L-R) Jennifer Maia of Brazil punches Roxanne Modafferi in their women's flyweight bout during the UFC Fight Night event at AT&T Center on July 20, 2019 in San Antonio, Texas. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC)

Última luta: derrota por decisão unânime para Katlyn Chookagian (2/11/2019)

Próxima luta: a definir

Panorama: desde sua estreia na organização em julho de 2018, a campanha da ex-campeã peso-mosca do Invicta FC tem sido sinuoso. Ela somou vitórias seguidas sobre Alexis Davis e Roxanne Modafferi, mas não bateu o peso contra Modafferi, nem em sua luta mais recente com Katlyn Chookagian no UFC 244. Não bater o peso duas vezes consecutivamente faz com que seja difícil prever o futuro para Jennifer. Ela provavelmente precisará somar algumas vitórias e provar que a balança não será um problema antes de cogitar uma disputa de título, mas se for capaz de voltar à forma que lhe levou ao UFC embalada por seis vitórias seguidas, a possibilidade é real.

5) Roxanne Modafferi
(24-17, 4 nocautes, 5 finalizações)

Última luta: vitória por decisão unânime sobre Maycee Barber (18/1/2020)

Próxima luta: a definir

Panorama: Modafferi provou ser muito mais do que um degrau para a nova geração quando freou a ascensão de Maycee Barber no UFC 246. Apesar de Barber ter sofrido uma lesão no joelho que prejudicou sua performance, Roxanne já estava se saindo muito bem no 1º round, utilizando uma trocação evoluída e fluindo bem no solo. Uma das lutadoras mais experientes do plantel, a atleta de 37 anos esteve melhor do que nunca em sua última apresentação. Ela também argumentou que, apesar de ter alternado vitórias e derrotas em suas últimas seis lutas, ela venceu as últimas três em que as oponentes bateram o peso (a única derrota sendo para Nicco Montano pelo cinturão). Modafferi é muito mais perigosa do que parece, e tem provado isso seguidamente.

Ainda no mix:
Lauren Murphy, Andrea Lee, Maycee Barber
Lauren Murphy celebrates her TKO victory over Mara Romero Borella of Italy in their women's flyweight bout during the UFC Fight Night event at the Prudential Center on August 3, 2019 in Newark, New Jersey. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC)
Lauren Murphy celebrates her TKO victory over Mara Romero Borella on August 3, 2019 in Newark, NJ (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC)

Entrando em 2020, o burburinho sobre Mayce Barber estava em todo lugar. Naquele momento, ela estava invicta, confiante e se provava dentro do Octógono. Então, como mencionado anteriormente, ela rompeu um ligamento do joelho em sua primeira derrota na carreira, o que a tira de ação até, pelo menos, o fim do ano. Enquanto isso, Lauren Murphy vem de vitórias sólidas sobre Andrea Lee e Mara Romero Borella. A atleta de 36 anos está 3-1 desde a descida para o peso-mosca e é o tipo de lutadora durona que torna a vida de sua oponente muito dura. Lee, por outro lado, parecia estar embalada ao vencer suas três primeiras lutas no UFC. Mas após perder por decisão dividida para Joanne Calderwood, ela encarou o segundo revés da mesma forma contra Lauren Murphy. Mesmo assim, Lee segue evoluindo e parece estar a um passo de ameaçar a elite da divisão.

Assine o Combate | Siga o UFC Brasil no Youtube