Pular para o conteúdo principal
Atletas

Análise de momento: peso-pesado

Enquanto Stipe Miocic e Daniel Cormier consideram uma trilogia, o futuro da divisão continua a tomar forma

Parece que, mais do que qualquer outra divisão, a forma do ranking dos pesos-pesados pode mudar em um piscar de olhos. Como as pessoas dizem quase sempre que dois grandalhões entram no Octógono: basta um soco. E cada um dos principais nomes da categoria tem esse poder de mudar uma luta, criando embates cheios de tensão. Infelizmente para alguns candidatos em ascensão, uma possível trilogia entre Stipe Miocic e Daniel Cormier deixa a categoria em espera até que os dois tirem a prova.

Enquanto o peso-pesado permite que os atletas estendam suas carreiras sem a preocupação e o desgaste do corte de peso, a divisão começa a ver uma onda de sangue novo chegando à organização, adicionando um tempero a uma categoria emocionante.

Mais análises: Peso meio-pesado | Peso-médio | Peso meio-médio | Peso-leve | Peso-pena masculino | Peso-galo masculino | Peso-mosca masculino | Peso-pena feminino | Peso-galo feminino | Peso-mosca feminino | Peso-palha

Segue a análise do peso-pesado:

Campeão: Stipe Miocic
(19-3, 15 nocautes)

Última luta: vitória por nocaute técnico sobre Daniel Cormier (17/8/2019)

Próxima luta: a definir

Panorama: é estranho dizer que o legado de Stipe Miocic estava balançando quando ele entrou para a revanche com Daniel Cormier, dado que ele havia defendido o título mais vezes do que qualquer outro peso-pesado, mas esse era o sentimento antes do UFC 241. Apesar de Miocic parecer ter começado a luta um passo atrás de Cormier, o então ex-campeão começou a pegar o ritmo a partir do 3º round, até que conectou diversos golpes no corpo de Cormier, dando início à sequência final. O preço de ouvir “And New” mais uma vez, no entanto, foi caro, já que Miocic segue se recuperando de uma lesão no olho adquirida no combate. Quando estiver recuperado, quase todos aguardam por uma terceira luta entre os dois. Miocic mostrou um queixo muito mais duro do que no primeiro encontro, mas a velocidade de Cormier pareceu ainda mais diferenciada no segundo. Um terceiro embate poderá ter mais luta agarrada, e se Miocic mantiver seu cinturão, ele pode se ver diante de uma revanche com Francis Ngannou.

1) Daniel Cormier
(22-2, 1 sem resultado, 10 nocautes, 5 finalizações)

Última luta: derrota por nocaute técnico para Stipe Miocic (17/8/2019)

Próxima luta: a definir

Panorama: Daniel Cormier deixou claro que acredita que a revanche com Miocic será sua última luta, mas o ex-campeão também disse que se aposentaria aos 40 anos de idade. Dito isso, Cormier pareceu bem como sempre na sua segunda defesa de título. Apesar de “DC” admitir que provavelmente deveria ter usado mais o wrestling, e que estava lidando com problemas nas costas, ele estava vencendo a luta. Todos querem imitar Georges St-Pierre e sair por cima, e Cormier já mostrou que pode fazer isso em um terceiro encontro com Miocic, e ele está disposto a esperar que Miocic se recupere. O que é certo é que, ganhando ou perdendo, Cormier é um dos melhores lutadores que já pisou no Octógono.

2) Francis Ngannou
(14-3, 10 nocautes, 4 finalizações)
Francis Ngannou of Cameroon poses for a post fight portrait backstage during the UFC Fight Night

Última luta: vitória por nocaute técnico sobre Junior Cigano (20/6/2019)

Próxima luta: a definir

Panorama: o homem considerado o mais temido do plantel fez do último ano e meio uma espécie de redenção após performances desapontantes contra Stipe Miocic e Derrick Lewis. Ele mais do que se reabilitou com os nocautes sobre Curtis Blaydes, Cain Velasquez e Junior Cigano em somados 2m22s, se consolidando como merecedor do title shot. Infelizmente, no entanto, ele está no aguardo da citada trilogia, e por isso aceitou uma luta contra o emergente Jairzinho Rozenstruik. Ngannou sente que possui o melhor boxe do plantel, e definitivamente tem o maior poder de nocaute. Seu QI de luta parece melhorar a cada combate, mas sua capacidade de manter o ritmo além do 1º round ainda não foi provada, muito porque ele não permite que suas lutas cheguem lá. Uma revanche com Miocic é o que separa Ngannou de ter a coroa dos pesos-pesados, o que parece mais provável a cada soco devastador que ele aplica.

3) Curtis Blaydes
(13-2, 1 sem resultado, 10 nocautes)
Blaydes CT

Última luta: vitória por nocaute técnico sobre Junior Cigano (25/1/2020)

Próxima luta: a definir

Panorama: em um universo em que Francis Ngannou não existe, Curtis Blaydes é claramente o próximo da fila. Ele dominou em cada uma de suas vitórias e, surpreendentemente, não precisou aplicar nenhuma queda contra Junior Cigano, superando o ex-campeão em pé. Dito isso, Blaydes deixa claro que pretende ser o “Khabib dos pesados” e se diferencia por seu excelente wrestling. Isso faz de uma hipotética luta com Daniel Cormier bastante atrativa, mas igualmente improvável já que Cormier parece focado somente em Miocic. Ele terá que esperar Ngannou ter sua chance após ser derrotado pelo camaronês duas vezes. A situação de Blaydes é comparável à de Justin Gaethje, que precisa esperar por um desafiante merecedor para ter seu title shot, além de uma possível revanche. Mas Blaydes tem apenas 29 anos de idade e, embora não queira perder tempo, deve ter sua chance em breve caso siga evoluindo.

4) Junior Cigano
(21-7, 15 nocautes, 1 finalização)
Junior Dos Santos UFC wichita Victory - HERO

Última luta: derrota por nocaute técnico para Francis Ngannou (25/1/2020)

Próxima luta: a definir

Panorama: considerando que Junior Cigano fez sua estreia no UFC em 2008 e conquistou o cinturão em 2011, é uma loucura perceber que o brasileiro tem só 36 anos de idade, mais jovem que Miocic e Cormier. Um dos últimos sobreviventes de uma outra era do esporte, o brasileiro segue vivaz como sempre com sua atitude positiva fora do Octógono. Dentro do cage, ele segue sendo um dos strikers mais criativos da divisão. Nocautes consecutivos sobre Tai Tuivasa e Derrick Lewis colocaram Cigano batendo à porta de um novo title shot até que ele entrou no caminho de Francis Ngannou e Curtis Blaydes. Dito isso, ele segue como um dos melhores da divisão e não parece estar nem perto de pendurar as luvas.

5) Derrick Lewis
(23-7, 18 nocautes, 1 finalização)
CT Derrick Lewis

Última luta: vitória por decisão unânime sobre Ilit Latifi: (8/2/2020)

Próxima luta: a definir

Panorama: um favorito dos fãs, que parece ser um dos melhores para seguir no Instagram e um dos entrevistados mais imprevisíveis, Derrick Lewis pareceu mais versátil que nunca em suas duas últimas lutas contra Blagoy Ivanov e Ilir Latifi. Embora isso possa parecer estranho, visto que ambas foram à decisão dos juízes, a atenção dada por Lewis ao condicionamento físico valeu a pena em ambas. Após se recuperar de um rompimento de ligamento no joelho, Lewis pareceu mais magro contra Ivanov e continuou atirando bombas até os últimos momentos do combate. E na sequência, lutando em casa, ele tentou várias joelhadas voadoras, algo que poucos esperariam dele. Com seus problemas nas costas e joelho aparentemente superados, Lewis tem anos de briga pela frente, e quem quiser se declarar parte da elite dos pesados não pode ignorar o “Black Beast”.

Ainda no mix:
Jairzinho Rozenstruik, Alexander Volkov, Walt Harris, Jon Jones
Jairzinho Rozenstruik of Suriname punches Alistair Overeem of Netherlands in their heavyweight bout during the UFC Fight Night

Panorama: Jairzinho Rozenstruik teve um ano de estreia como poucos, vencendo suas quatro lutas por nocaute, incluindo o segundo mais rápido contra Allen Crowder (nove segundos) e o mais tardio da história dos pesados contra Alistair Overeem (4m56s do 5º round). “Bigi Boy” parece ter o poder de nocaute que as pessoas não entendem até sentirem, e ele foi um dos poucos seres humanos que pediu uma luta com Francis Ngannou. Apesar de a luta ter sido adiada, será um teste definitivo para ver até onde Jairzinho pode ir. Enquanto isso, Alexander Volkov e Walt Harris são nomes mais consolidados em busca de seus lugares no topo. A marcha de Volkov foi temporariamente suspensa, mas ele superou Greg Hardy com relativa facilidade na Rússia. Ele e Curtis Blaydes têm discutido uma data, e este seria um embate interessante estilisticamente. Walt Harris quase teve a chance de provar seu valor após duas vitórias seguidas em menos de um minuto, até que uma tragédia pessoal o tirou de ação. Mas seu duelo com Alistair Overeem eventualmente sairá do papel, ao que tudo indica. O rei dos meio-pesados também já demonstrou seu interesse em subir de divisão e agora parece querer uma superluta com Stipe Miocic. Muitas peças precisam se encaixar para que isso ocorra, mas quando um dos maiores de todos os tempos demonstra vontade de subir de categoria, o plantel inteiro fica de olho.

Assine o Combate | Siga o UFC Brasil no Youtube