Pular para o conteúdo principal
Estilo de vida

Na onda de Medina

Quatro lutadores que também mandam muito bem no surfe

Pela primeira vez, o Brasil tem um surfista duas vezes campeão do mundo. Em dezembro, Gabriel Medina fez história (de novo) ao vencer o circuito da WSL (World Surf League) no Havaí – há quatro anos, o surfista que cresceu em Maresias, no litoral norte de São Paulo, havia sido o primeiro brasileiro campeão mundial. 

Fã de artes marciais, o paulista já esteve em eventos do UFC, mas contou não se arriscar em nenhuma delas (diferentemente, por exemplo, do 11 vezes campeão do mundo Kelly Slater, que pratica jiu-jítsu). O caminho inverso, no entanto, é mais comum do que imaginamos. Conheça aqui quatro lutadores do UFC que não fazem nada feio sobre as ondas.

Luke Rockhold

É no mar que o americano pode ser encontrado quando não está treinando. Natural de Santa Cruz, a meca do surfe, no norte da Califórnia, Luke cresceu surfando e vem de uma linhagem em que o esporte é protagonista. O pai, Steve, jogou basquete como profissional na Europa e o irmão mais velho, Matt, é ídolo do surfe californiano e já foi capa de revistas e garoto-propaganda de marcas do esporte. O ex-campeão dos médios do UFC, que sempre surfou muito bem, chegou a considerar profissionalizar-se como o irmão, mas a paixão pelo jiu-jítsu falou mais alto. Ele começou a participar de campeonatos na adolescência até migrar para o MMA – o resto é história.

Kron Gracie

Fenômeno do jiu-jítsu, filho do lendário Rickson Gracie, Kron nasceu no Rio de Janeiro, mas mora desde criança na Califórnia. Embora o skate seja sua paixão maior depois da luta, o atleta, que vai estrear no UFC em fevereiro, é, também a exemplo do pai, um ótimo surfista. “O oceano é a maior fonte de energia e se eu me sinto estressado ou abatido sempre tento entrar para encontrar meu equilíbrio”, disse ele à revista Vogue italiana. “Meu programa de treinamento nem sempre me deixa tempo para ir surfar, mas se eu estou no North Shore [Havaí] ou no Brasil eu faço isso pra mim. Surfar é fantástico, mas eu só tenho que estar imerso no oceano e sentir sua energia.”

BJ Penn

O atleta faz jus à terra-natal. Nascido em Kailua, na ilha de Oahu, no Havaí, BJ Penn respira surfe desde pequenininho. O ex-campeão, membro do Hall da Fama do UFC e faixa-preta de jiu-jítsu, Penn é o lutador mais famoso do arquipélago. Ele mora hoje na Big Island e costuma surfar na praia de Honolii, uma onda bastante popular entre os nativos havaianos.

Brian Ortega

“Train hard, surf hard, fight hard” – em bom português, “treine duro, surfe duro, lute duro”. Esse é o lema do peso-pena do UFC, morador da Califórnia, e também de sua marca de roupas e acessórios, a Black Belt Surfing. Brian gosta tanto de surfar que nem um baita susto que levou em 2016 o tirou do mar. Naquela ocasião, num dia frio e chuvoso de fevereiro, ele resolveu se arriscar em ondas que chegavam a 3 metros em Redondo Beach com um grupo de amigos. “Nunca fui atingido de um jeito tão duro em minha vida. Terminei falando para mim mesmo: ‘Você vai morrer’. Quase desisti de viver. As ondas batiam em mim e eu continuava afundando”, contou ele depois, para um grupo de jornalistas. O atleta chegou a apagar e foi resgatado por um amigo e levado para o hospital. No dia seguinte ao seu quase afogamento, queria voltar para o mar. “Eu não quero ter medos, entendeu?”, justificou. “Não quero viver uma vida de medo.”