Pular para o conteúdo principal
Lutadores Brasileiros

Top 6: Amanda Nunes

Relembre as melhores lutas da dupla-campeã brasileira, que volta à ação no UFC 245, em dezembro

O mundo dos esportes estará assistindo mais uma vez no dia 14 de dezembro, quando a dupla-campeã Amanda Nunes defenderá seu título peso-galo pela 5ª vez em revanche com Germaine de Randamie. A luta, no UFC 245, será mais uma oportunidade para a “Leoa” brasileira incrementar seu currículo como a melhor lutadora da história, e se você quer se lembrar como ela atingiu este status, confira abaixo suas melhores performances.

Julia Budd
Strikeforce Challengers - 7 de janeiro de 2011

Amanda Nunes não caiu do céu ao Octógono no UFC 200, onde ela tomou o cinturão peso-galo de Miesha Tate. Ela está há tempos no radar do mundo do MMA, e quando foi contratada pelo Strikeforce em 2011, havia a expectativa de que a nocauteadora brasileira estaria prestes a colocar o MMA feminino no mapa de uma vez por todas. Bem, Amanda não desapontou em sua estreia nos Estados Unidos, e precisou de apenas 14 segundos para nocautear a respeitada striker Julia Budd. Se formos comparar, foram 25 segundos a menos que Ronda Rousey precisou para finalizar Budd 10 meses depois.

Germaine de Randamie I
UFC Fight For The Troops 3 - 6 de novembro de 2013

Possivelmente a kickboxer mais condecorada a pisar no Octógono, Germaine de Randamie é fatal em pé e seu currículo fala por ela. Mas quando enfrentou Amanda em novembro de 2013, a holandesa não estava preparada para a violência no ground and pound de sua oponente, e a brasileira venceu em menos de quatro minutos. Foi uma vitória marcante que alavancou a brasileira para uma grande luta que o mundo inteiro assistiria.

Miesha Tate
UFC 200 - 9 de julho de 2016

Após triunfo sobre Sara McMann, Amanda venceu Valentina Shevchenko por decisão unânime em março de 2016. Isso garantiu um duelo contra a nova campeã peso-galo Miesha Tate no que acabou sendo a luta principal do histórico UFC 200 em Las Vegas. Apesar da pressão sobre seus ombros, a brasileira estava ligada desde o momento em que a porta do Octógono se fechou, e apesar de o resultado ter sido uma finalização, foram seus golpes certeiros e avassaladores que abriram caminho para a vitória e lhe garantiram o cinturão.

Ronda Rousey
UFC 207 - 30 de dezembro de 2016

O retorno de Ronda Rousey após a derrota para Holly Holm em 2015 dominou as manchetes a caminho da luta principal do UFC 207 em Las Vegas, mas Amanda se manteve focada na missão e não se desviou do foco, que era provar que só havia uma campeã na divisão peso-galo. E foi exatamente o que a Leoa fez, partindo para cima de Rousey e não permitindo que ela entrasse no combate. A luta durou apenas 48 segundos e ficou claro que Amanda estava chegando para um longo reinado.

Cris Cyborg
UFC 232 - 29 de dezembro de 2018

De forma tão chocante quanto incontestável, Amanda levou apenas 51 segundos em sua estreia no peso-pena para nocautear a então campeã Cris Cyborg, encerrando uma invencibilidade da curitibana que já durava 13 anos. Foi uma performance impecável da Leoa, que fez história se tornando a primeira - e até agora única - mulher com títulos em duas divisões do UFC. Adicione a isso o fato de ela ter os dois cinturões simultaneamente e você tem uma dimensão do quão grande foi este feito.

Holly Holm
UFC 239 - 6 de julho de 2019

Se era esperado que Amanda deixasse a peteca cair após a vitória sobre Cyborg, a brasileira não recebeu o recado, voltando ao peso-galo e defendendo seu cinturão com mais um nocaute memorável no 1º round, desta vez sobre Holly Holm. Esta vitória foi a 9ª consecutiva da Leoa, e acumular triunfos sobre seis campeãs do UFC, duas medalhistas olímpicas e uma campeã mundial de boxe em três divisões fez com que ela tivesse um forte argumento sobre ser a melhor mulher da história nos esportes de combate.

Assine o Combate | Siga o UFC Brasil no Youtube